Desejando, sempre, honrar ao Senhor…

Conhecendo Jônatas

Este mês o Senhor nos falará sobre amor. Não só o amor de Deus, mas também amor dos homens.

Existem 4 tipos de amor:

·        Amor fraternal – Amor de família.

·        Amor fillos – Amor entre amigos, igreja.

·        Amor heros – Amor do homem pela mulher amada e vice-versa.

·        Amor ágape – Amor incondicional, este é o amor de Deus.

Nesta sexta estaremos aprendendo sobre o “amor fillos”, ou seja, o amor entre amigos, mais especificamente, amor da igreja. Para isso teremos como exemplo Jônatas, filho de Saul e melhor amigo de Davi.

 

Quem era Jônatas…

 

Podemos entender, de acordo com o relato bíblico, que Jônatas era mais velho que Davi cerca de 20 anos. Em I Samuel 13 mostra que Saul se tornou rei aos 30 anos de idade e reinou por 40. Ou seja, quando morreu Saul tinha 70 anos de idade. Se colocarmos uma diferença de 20 anos entre Saul e Jônatas, que era seu primeiro filho, teremos Jônatas morrendo, na mesma batalha que Saul, aos 50 anos. Davi também se tornou rei aos 30 anos reinou 40 anos segundo II Samuel 5: 4,5. Se levarmos em consideração que, no tempo em que Davi ainda pastoreava os rebanhos do seu pai, Jessé, e era muito novo para ir às batalhas de Israel, e que Jônatas já acompanhava Saul em batalhas (I Samuel 13. 2), podemos entender que a diferença entre Jônatas e Davi era de aproximadamente 20 anos.

Jônatas era um guerreiro valente, fiel ao seu pai e temente a Deus. Porém, Jônatas tinha duas características que o fizeram entrar na história de Israel e nos ajudar neste estudo.

A primeira característica era que Jônatas era justo.

Seu senso de justiça não permitiu que ele aceitasse o ódio de Saul por Davi. Em I Samuel 20:31 Saul tenta convencer Jônatas que Davi deveria morrer, ou então Jônatas nunca seria rei. Mas nem assim Jônatas aceitou que Saul deveria matar Davi.

A segunda característica de Jônatas era sua capacidade de amar.

Jônatas percebe que em Davi existe lealdade ao rei e temor a Deus. Jônatas percebe que estava sendo fiel a um irmão e amava Davi como tal. Por várias vezes Jônatas declara sua lealdade a esta amizade, dando a entender que para Jônatas o valor desta amizade era muito alto e só então sendo correspondido por Davi (I Samuel 18. 3,4; 20. 16,17).

Mas o que o amor de Jônatas tem haver com a Igreja hoje?

 

         Pela provável diferença de idade entre Jônatas e Davi, nos perguntamos: o que leva um homem a ser tão leal a outro 20 anos mais novo? Para Davi era como se Jônatas fosse seu irmão mais velho ou mesmo um mentor, alguém por quem sua admiração era recíproca. Mas percebemos a capacidade que Jônatas possuía de amar nos perguntamos o que tem sido do nosso amor na igreja. O que aconteceu com o amai-vos uns aos outros? Será que temos vivido um amor verdadeiro, que nos faz agir com justiça, independente da situação ou amamos mais aqueles que podem nos oferecer alguma coisa e os que nos admiram?

         É emocionante ver o amor que Davi sentia por Jônatas. Em I Samuel 20.41,42 e em II Samuel 1. 25,26 vemos o quanto estes dois se amavam. Não podemos nem imaginar a falta que Davi sentiu do seu “irmão” nos anos que se seguiram, o quanto ele deve ter desejado que Jônatas estivesse presente nas vitórias.

Não estamos falando do amor homossexual que Satanás tenta nos convencer como existente na Bíblia. Estamos falando de um amor que vem da admiração, do respeito e da justiça. Estamos falando do amor entre irmãos que só a igreja pode oferecer. Este é o amor que Deus deseja para a igreja. Qual o único lugar que homens podem se abraçar, dizerem que amam um ao outro no amor de Cristo e não serem taxados?

Este é o sonho de Deus para Sua igreja: que pessoas possam revelar seu amor e transformar vidas da mesma forma como Seu amor nos foi revelado e transformou nossas vidas.

Se prestarmos atenção veremos que o amor nem sempre está presente em nossas igrejas, porém ele teima em renascer de onde menos esperamos: em nós mesmos. Cabe a cada um cultivar o amor pelos outros porque nos leva mais longe do que a fé e a esperança (I coríntios 13. 13).

 

Que o Senhor renove em nossos corações a cada dia o amor pelos sonhos d’Ele.

 

No amor de Cristo por todos vocês…

 

 

                           Sem. Sérgio Inojoza.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s