Desejando, sempre, honrar ao Senhor…

Capítulo 2 – O Nome de Jesus – João 17.2

Segundo capítulo da série: A Autoridade dos que Crêem

Vamos imaginar um guarda de trânsito. Imagine-o em um destes dias de muito calor, trânsito intenso, parado bem no meio do cruzamento tentando organizar o trânsito apenas com o movimento das mãos e um apito na boca entre motoristas apressados e irritados, buzinando. Mesmo que os motoristas não saibam o motivo do engarrafamento nenhum deles reclama com o guarda de trânsito, ou buzina pra ele reclamando da demora. Todos passam sem demonstrar nenhuma insatisfação.

Perceba que o guarda de trânsito não tem força nos braços para impedir que um carro avance ou que exista uma barreira que impeça os carros de passarem. O que faz o motorista obedecer é a autoridade que reside sobre o guarda. Naquele momento ele foi investido de poder, dado através do órgão responsável pelo trânsito.

O Nome de Jesus

Em João 17.2 Jesus afirma que Deus deu-lhe poder sobre toda a carne para dar vida eterna. O termo “poder” no grego ecsousia (eksousia) tem um sentido muito mais abrangente do que poder somente. Já falamos em outros estudos sobre o que significa poder dynamis (ser capaz de), mas no caso de eksousia isso é muito mais abrangente. O sentido desta palavra quer dizer que Jesus recebeu toda a influência delegada. Isso significa autoridade, jurisdição, liberdade, poder, direito e força. Em outras palavras, quando a Palavra de Deus determina, o nome de Jesus tem a autoridade para fazer qualquer coisa. Sobre isso falaremos no próximo estudo.

Mas, no que reside o poder no Nome de Jesus? Se uma criança nascer e seus pais derem a esta criança o nome de Jesus, ele não terá poder nenhum. Pois o poder não foi dado ao nome “Jesus”, mas foi dado ao nome de um Jesus específico que nasceu em Belém, filho de uma virgem chamada Maria há aproximadamente 2000 anos atrás. Por isso é necessário que se conheça Jesus, o Filho de Deus.

O Nome Mais Excelente

E.W. Kenyon em seu livro: O Maravilhoso nome de Jesus diz que os homens obtêm nomes grandiosos de três maneiras. Alguns nascem para tê-los – um rei por exemplo. Há aqueles que tornam grandiosa a sua identidade mediante realizações e outros recebem um nome importante por doação. O nome mais excelente foi conquistado por estes três meios. Ele é grandioso porque Jesus nasceu para isso, foi herdado pelo filho de Deus por causa das suas realizações e é magnificente porque lhe foi doado.

Por Herança

Abra sua Bíblia em Hebreus 1. 1-6. Jesus herdou o nome que está acima de todo o nome. Jesus é a expressão exata do Todo-Poderoso. Ele é Deus e herdou o mais excelente nome. Mas quando? No versos 4 e 5 podemos ver que Jesus herdou o nome mais excelente quando Deus lhe disse: “Tu és meu filho, hoje, te gerei” Ou seja, no dia em que foi gerado.

João 1 afirma que Jesus já existia desde o começo de todas as coisas. Ele já estava com Deus antes da criação do mundo. Ele era Deus! Uma prerrogativa para ser Deus é que o ser deve ser eterno. Não pode haver um ponto que determina um começo. Por isso não foi no dia do seu nascimento que Ele foi gerado. Então, quando Jesus foi?

Jesus foi gerado ao ressuscitar naquela manhã.

Jesus precisou ser gerado porque se tornou como nós, separado de Deus, e provou a morte espiritual por todos nós. Por mais difícil que seja para nós imaginarmos o nosso Jesus assim, foi exatamente isso que aconteceu. Jesus experimentou também a morte espiritual em nosso lugar. Por causa do nosso pecado Jesus foi distanciado do Pai. Por isso exclamou na cruz: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Mt. 27.46).

Assim como falamos no estudo passado, Adão apesar de vivo estava morto para Deus, da mesma forma Jesus teve que pagar o preço em nosso lugar. O pecado é mais do que um ato físico. É uma condição espiritual. Veja o que diz em Atos 2. 25 – 31 principalmente o verso 27: “Não deixarás a minha alma no Hades”.

La em baixo, no Inferno, Cristo satisfez as reivindicações da Justiça para cada um de nós porque Ele passou por tudo isso em nosso lugar. No Céu, Deus disse: “é suficiente” e depois ressuscitou-o do Inferno. Ressuscitou o corpo do Salvador da sepultura e disse: “Tu és meu filho, hoje, te gerei”.

Por Doação

Em Filipenses 2. 9-11 podemos ver que Deus deu a Jesus um nome. E.W. Kenyon escreveu:

“Concluímos então que havia um nome conhecido no Céu, desconhecido em outros lugares. O qual foi guardado para ser doado a alguém que O merecesse. Jesus, conforme O conhecemos, recebeu esse nome por doação e a ele todo joelho se dobrará nos três mundos – no Céu, na Terra e no Inferno – e toda a língua confessará que Ele é o Senhor dos três mundos para a glória de Deus Pai”.

O Céu, a Terra e o Inferno reconhecem tudo o que Jesus fez. Toda a autoridade, todo o poder e a totalidade das suas realizações estão em Seu Nome que em nossos lábios operará as mesmas coisas as quais operava naquele tempo.

Assim como Jesus recebeu este nome nós também recebemos do próprio Jesus a autoridade para usá-lo. Mateus 28. 18 a 20 Jesus nos autoriza seu nome na obra de Deus. Precisamos seguir esta ordem e aprender a desfrutar esta autoridade. Esta verdade não atuará na nossa vida até que nos seja revelada e não será possível recebê-la sem estudar a Palavra de Deus.

Por Conquista

Abra sua Bíblia em Colossenses 2.15. Jesus triunfou sobre os demônios. Os principados e potestades contra os quais lutamos são os mesmos que o nosso Salvador venceu, despojou e reduziu a nada!A vitória que Jesus conseguiu contra o Diabo e o pecado está incluída no nome de Jesus. E esse privilégio nos pertence Assim, quando clamamos pelo Nome de Jesus, este nome tornará real em nossas vidas aquilo que o Rei dos reis já conquistou.

Você pode repetir o Nome de Jesus como um papagaio dizendo “louro quer biscoito” e isso não lhe trará proveito. Precisamos saber quem Jesus foi, É e será para podermos perceber a autoridade do Seu nome.

Colossenses 1.13 nos mostra que Satanás não tem autoridade alguma para dominar o cristão nem a Igreja.

No estudo passado nós vimos que algumas pessoas não nasceram de novo apesar de estarem nas Igrejas e clamarem o Nome de Jesus. Para eles, neste momento, nada acontece. Isso se dá por não abandonarem o pecado e continuarem vivendo a vida que desagrada a Deus. Percebemos que Satanás ciranda nessas vidas e consegue todo tipo de êxito deixando-os presos a falsas verdades e dependentes de suas correntes.

Essas pessoas tomam não só o Nome de Jesus como também todo tipo de “talismãs” como cruzes, imagens e outras coisas e dizem: “se eu carregar esse “pé-de-coelho” talvez ele impeça que algo de ruim aconteça comigo”.

O Nome de Jesus não opera por meio de nosso desejo, mas mediante o conhecimento de Jesus Cristo. É hora de revermos os conceitos das nossas vidas. Não digo para pregar o novo nascimento e o poder do Nome de Jesus para os outros, mas para você mesmo. Se você não conhece Jesus não nasceu de novo e não vai ter autoridade.

Busque-O cada vez mais. Ore, jejue, leia a Bíblia e não há dúvidas que o Espírito Santo de Deus o ajudará a conhecer o seu Salvador Jesus Cristo e a experimentar a autoridade do Nome de Jesus.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s