Desejando, sempre, honrar ao Senhor…

Igreja – A Noiva de Cristo – Efésios 5.32

O que é realmente a Igreja: o templo ou as pessoas? Você já percebeu que chamamos de Igreja as pessoas e não o templo? Você já parou pra pensar qual o objetivo destas reuniões e de quem são as expectativas? O que eu preciso para fazer parte disso? E por que deveria?

É sobre isso que iremos falar hoje: a Igreja.

Muitos nomes já foram dados a ela: Noiva, Menina dos olhos de Deus, Corpo de Cristo, etc. Mas, nenhum nome lhe cai tão bem com Igreja de Cristo.

Ao pé da letra, o termo grego ekklesia (ekklesia) significa “chamados para fora”, ou seja, alguém está chamando outro para algum lugar. Se olharmos para o contexto cristão, podemos definir que alguém precisa chamar outros para se encontrar com Cristo. Foi assim que a Igreja nasceu. Jesus nos chamou para restaurar a comunhão com Deus e espera que façamos o mesmo em relação a outras pessoas.

No livro Liderança Corajosa, o Pr. Bill Hybels conta o relato de quando esteve nos destroços do WTC no 11 de Setembro. Referindo-se aos voluntários que já estavam há dias cavando em busca de sobreviventes ele diz: “Eu me senti despedaçado, querendo segura-los em meus ombros e dizer: por favor, pare. Você precisa descansar. Você precisa ir pra casa; e ao mesmo tempo queria lhes tocar e dizer: Não desista! Se eu estivesse embaixo daquela pilha de destruição, ia querer alguém como você cavando por mim”.

As pessoas fora da Igreja estão vivendo sem rumo e sem perspectiva do amor de Deus. Precisam de alguém que fale que Ele as ama. Este é o potencial da Igreja!

Características da Igreja

  • Um só Corpo e Muitos Membros – Romanos 12.5;

A Igreja é formada por pessoas. Ela é um organismo vivo! Assim como nosso corpo, a Igreja é feita de várias partes. Ela possui uma estrutura dinâmica onde cada pessoa deve se engajar para alcançar um objetivo comum. A Bíblia nos ensina que o Espírito Santo nos presenteia com dons para que possamos usá-los para o crescimento do Reino de Deus na terra e para o bem comum da Igreja.

Cada membro da Igreja deve usar o dom que Deus deu para aquilo que Ele deseja que seja realizado. A uns deu o dom de ensinar, a outros o dom de exortar, a outros o dom de repartir, etc.

Já pensou se todas as partes do seu corpo quisessem ser as pernas pra chegar mais rápido? Ou se desejassem ser olhos para ver mais longe? Já pensou se todos na Igreja quisessem pregar ou mesmo limpar o banheiro? (Romanos 12. 6 – 8; I Coríntios 12. 14 – 22).

O desejo de Deus é que com a ajuda dEle encontremos o lugar certo para nos encaixarmos na Igreja e assim cumprirmos a função que Deus designou para ajudar o Corpo de Cristo a ir cada vez mais na direção do Reino de Deus.

  • Local de Adoração – João 4.24

Certa vez Jesus encontrou uma samaritana e explicou a ela que o local de adoração não seria mais em um templo, depois da chegada do Messias. Ao ressuscitar e com a descida do Espírito Santo em Pentecostes, Jesus cumpriu a promessa que Deus fez de derramar o seu Espírito sobre toda a carne (Joel 2. 28,29).

A partir deste momento o local de adoração mudou. Veja o que diz em I Coríntios 6. 19,20: “o nosso corpo é templo e morada do Espírito Santo”. Ou seja, Ele habita em nós e recebe adoração em nós. É através do que existe em seu coração que Deus vai ser adorado ou não. Deus sabe o que está em seu coração e na sua presença não se pode usar máscaras.

Como Igreja não precisamos estar no templo para adorar. Podemos adorar estando sozinhos ou no meio de uma multidão. Porém, a Igreja precisa estar sempre reunida. Estar fora da Igreja é ser como uma brasa afastada do fogo. Com o tempo ela apaga e morre.

Deus se alegra em receber a adoração dos seus filhos.

  • Missão da Igreja – Marcos 16.15
  • Evangelizar

Quando Jesus subiu os céus deixou uma missão para os seus discípulos: levar a mensagem do evangelho a todos os povos. Em momento nenhum Jesus deixou a possibilidade para nós escolhermos se queremos fazer ou não, mas deixou bem claro que aqueles que são seus discípulos são comissionados a evangelizar.

Muitas pessoas já ouviram falar do nome “Jesus”. As festas cristãs do nosso calendário não deixam ninguém esquecê-lo, porém, as pessoas não sabem que Jesus nasceu e morreu por amor a elas. Não conhecem a graça e nem a importância do plano de salvação. Não sabem as conseqüências de morrer sem aceitar o perdão de Deus.

Por isso, Deus nos chama a cada dia para levarmos a mensagem de Jesus para aqueles que nos cercam. Deus pode não ter chamado você para ser um missionário em um país distante, mas com certeza chamou você para ser um missionário no seu trabalho, casa, escola ou faculdade.

Nós não podemos convencer as pessoas a aceitar Jesus ou se arrependerem dos seus pecados. Mas a nossa função é falar, independente do resultado. A função de convencer não é nossa, mas do Espírito Santo (João 16. 8 – 11). Saiba que enquanto você estiver pregando, não estará sozinho. Deus estará lhe ajudando com o que deve falar e o Espírito Santo estará trabalhando no coração de quem estiver ouvindo.

  • O Joio e o Trigo – Mateus 13. 24 – 30

Pra quem não conhece, o joio e o trigo são como inhame e cará. Se você não sabe distinguir na hora vai acabar levando gato por lebre. O joio e o trigo possuem sementes semelhantes e mesmo quando germinam não se consegue diferenciar uma da outra. A única maneira é esperar dar o fruto.

Assim também na Igreja, existem pessoas que não aceitaram Jesus, não foram convertidas e que com certeza fazem coisas erradas chegando mesmo a nos decepcionarmos com elas e com o evangelho, fazendo com que venhamos a desistir de estar com a Igreja por causa dessas atitudes.

Pessoas assim são como o joio. Ficam no meio do trigo, se parecem com o trigo, mas suas atitudes não são de trigo. Então, o que fazer?

A nossa atitude em primeiro lugar é não julgar (Mateus 7. 1,2; Tiago 4.12). Não podemos olhar para os lados e dizer quem é e quem não é trigo. Essa função é do agricultor, que é Cristo. Ele sonda os corações e sabe as intenções reais.

A segunda atitude é olharmos para Cristo que é perfeito. Todos nós somos imperfeitos e um dia, de uma forma ou de outra iremos decepcionar ou ser decepcionados por alguém. Jesus, porém, não nos decepciona. Nossa fé não deve estar firmada em pastores, nem líderes e nem em irmãos da Igreja. É para Jesus que devemos olhar e por causa dele estarmos com os irmãos. Não permita que atitudes de pessoas falhas como qualquer um de nós venha fazer você sair do caminho da salvação.

Conclusão

A Igreja local é a esperança do mundo! Onde mais adultos, jovens, idosos, crianças, adolescentes podem conviver em paz e com o mesmo propósito? A beleza da Igreja é indescritível. Seu poder é assombroso. Seu potencial é ilimitado. Ela conforta o pesar e cura o que é rompido no contexto da comunidade.

A Igreja constrói pontes para os que buscam e oferece a verdade aos que estão confusos. Ela traz recursos aos que tem necessidade e abre seus braços aos esquecidos, humilhados e desiludidos. Por maior que seja o sofrimento humano, a Igreja terá capacidade ainda maior de curar e unir.

Nada se compara se a Igreja funciona corretamente!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s